terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Guerra contra o terror. Contra o terror?

Guerra contra o terror. Contra  o terror?

Dois anciões palestinos na faixa de gaza sentados em uma praça lendo, um está lendo um jornalzinho palestino pobre e o outro está lendo um jornal israelense bem desenhado e rico em sua espeçura de folhas pela grande quantidade de notícias. O segundo ancião cai em rizadas, o primeiro estarrecido é levado a um ataque de fúria; -- O que há de tão engraçado em um jornal judeu? Não está vendo o que nos tornaram estes judeus? Nossas casas foram queimadas, nossos prédios foram todos derrubados, nossas bibliotecas e escolas destruídas, não temos hospitais nem mercados, farmácias e muito menos remédios para dor de barriga, as plantações foram devastadas, nossos filhos e netos não podem sair para rua sem o risco de tomarem um tiro, não está vendo o quanto estamos sendo oprimidos por estes judeus?
O segundo ancião responde então; -- Por que tenho que ler aquilo que vejo? Preciso ler algo que me faça rir pelo menos. O segundo ancião então vira a página que estava lendo para o primeiro e este o lê em voz alta; -- Israel investirá até o fim do ano treze bilhões de dólares na guerra contra o terror palestino.
Não entendendo o motivo da graça encontrada pelo segundo ancião, este por sua vez o explica toda a graça como motivo da dualidade literária nessa notícia; -- Veja bem o terror em que nos encontramos. Treze bilhões é o suficiente para saná-lo, eles logo irão reconstruir até o final do ano todos os prédios derrubados, todas as casas incendiadas, reconstruirão as escolas, investirão no sistema de saúde e colocarão policiamento nas ruas para acabar com esta onda de violência que aflinge a vida dos nossos filhos e netos.