segunda-feira, 16 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo - Deus por quê ? Porquê de Deus ?

A vontade divina desde cedo se apresentou como uma grande pedra amarrada aos pés da humanidade, muitos pensadores e filósofos tiveram tempos difíceis para provarem suas teorias.
   Essas mesmas pressões são sentidas hoje por críticos e estudiosos de diversas áreas, cientistas esses que ao expor uma opinião sobre algo irracional logo são acusados de espalhar a discórdia entre os homens.
   Logo então percebemos que não podemos e não devemos apresentar opiniões ou conclusões numa dita área aonde a razão não é válida para conclusões, pois esses mesmos irão ferir os conceitos religiosos ou culturais, conceitos de tamanha credulidade não fundamentada em nenhum principio materiais ou calculáveis, que logo são defendidos por longos argumentos de fiéis e apologistas, tanto a níveis cosmológicos quanto a níveis de credulidade.
  Os defensores desses conceitos religiosos logo se apressam a responder qualquer tipo de contradição ideológica, como se todas suas convicções e dilemas fossem temas de simples falta credulidade ou má interpretação por parte do interlocutor, "_Seu problema é que você não sente com o coração”, "_Você leu errado, portanto tirou conclusões erradas", existe algum parâmetro para testar a credulidade? , existe algum parâmetro para definir o entendimento correto de uma leitura religiosa. Uma simples pergunta como esta "_ Em que você justifica sua fé?”, você poderá (e até vai) fazer duas partes entrarem em um círculo de perguntas e respostas proporcionais a mesma fé do individuo questionado. Como falei, não existe nenhum instrumento ou modelo de passo para medir ou testar a palavra fé.
   A razão baseada na observação e conclusão é o único método para justificar qualquer suposição ou evento. Qualquer pessoa que justifique o universo a sua volta pela fé simplesmente está fechando-se para o resto do mundo, pelo simples fato de sua fé ou crendices somente serem sentidas e ou até palpáveis pelo mesmo, a esperança de qualquer comprovação nessa situação se torna impossível pelos métodos físicos de nosso universo presente, o que simplesmente podemos definir com ponto  para determinação de um conceito de realidade. A dificuldade de se provar um universo sentido por qualquer religioso pode ser dado no exemplo de um simples delírio esquizofrênico, podemos eu ou você apalpar tais delírios?Ou até mesmo podemos transformar tais distúrbios em evidencias para um universo metafísico, talvez para um modelo do alem em comparação ao nosso que é movido e sentido em um ambiente experimentado em grupo e controlado por um conjunto de regras lúcidas o esquizofrênico serviria para tal exemplo de metafisico. Quando qualquer ser humano tenta expor suas crenças como algo fundamentado e elabora uns universos de casos, esse mesmo ser humano deve tomar para si o ônus da prova, se digo que existe eu tenho de provar minha colocação dita que quero tornalas reais em um universo fundamentado em realidade.
   Toda afirmação exige uma explicação, afirmações cosmológicas exigem explicações cosmológicas, partindo desse principio se qualquer um tentar justificar sua fé em qualquer entidade ou figura folclórica terá logo de justificar o mesmo botando a prova suas justificativas.
   Mesmo que massas de pessoas digam que suas entidades religiosas e suas expressões resultem e algo que supera o físico não os tornará tão lúcidos quanto os esquizofrênicos sobre seus delírios. Suas bases não são fundamentadas em uma realidade palpável, mesmo que a realidade seja palpável o resultado tende a um alem matéria, isso não pode ser fundamentado

Um comentário:

  1. Concordo que toda afirmação exige uma explicação racional e que não temos como medir a fé. É por isso que acho ciência e religião duas áreas bem parecidas. Digo isso porque foram poucos os grandes mestres espirituais e os grandes cientistas. Eles entenderam bem mais do que a gente os segredos do universo. E como não temos como alcancá-los em inteligência mental (ciência) e espiritual (religião), então tudo o que nos resta é a fé. Temos fé de que o universo foi criado através do big-bang, mas não temos condições de provar isso apenas concluindo o ensino médio ou com uma simples luneta. Temos fé de que temos um espírito imortal, mas também não temos como provar isso simplesmente lendo a bíblia e indo na igreja. Tudo que é complexo na ciência ou na religião não temos como provar, pois somos simples mortais. Por mais que a gente estude algo tão elevado, estaremos compreendendo apenas um décimo do que as grandes mentes destas áreas compreenderam. É por isso que tudo o que nos resta "no momento" é repetir o que os mestres nos ensinaram, pois somente eles puderam realmente "sentir" através do espírito ou "apalpar" através da tecnologia estas realidades.

    ResponderExcluir