domingo, 29 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo – Porque eu devo aceitar??



Será de alguma forma Deus uma alternativa para o fim do sofrimento humano? Em Deus foi cunhado a necessidade de uma resposta para todo o tipo de evento que venha a trazer sofrimento ou felicidade a humanidade, a morte, a fome, as doenças, as catástrofes ambientais, a família, a cura. Eventos que facilmente poderiam ser respondidas por uma mente limpa baseada na razão que aceitaria tais eventos como causas de uma realidade viva e lúcida de origem casual, realidade essa passível ao mesmo tempo de uma nova forma para mudar ou superar tais situações propicias em um ambiente de casualidades sem a necessidade de qualquer tipo de fundamentalismo a nível de crenças religiosas. Nem todos aceitam a realidade como sendo um processo mutável de casualidades causas e consequências, existe dois tipos de aceitações, aceitação por omissão e por imposição de estado de realidade, na aceitação por omissão o adepto busca uma alternativa para superar a sua realidade vivida, se ocultando em uma realidade mais omissa ainda, como omissão podemos citar as pessoas que recorrem a grupos religiosos após a perda de algum ente, nessa situação o adepto omite a necessidade de um médico para ajudar em seu trauma que pode até ser uma depressão visto que depressão é doença, ou até mesmo um adepto recorrendo a grupos religiosos para acalmar suas sensações de perseguição ou até silenciar as vozes da sua cabeça, nessa situação o adepto estará se omitindo a procurar um médico pois ele apresenta os sintomas de esquizofrenia, a imposição de estado de realidade procura adeptos que não conseguem formular uma maneira de superar seu estado de realidade(ou mesmo de vida), algo como o meio ambiente que o adepto vive é exposto a ele como um mundo cruel e impuro que faz o adepto sofrer e ser torturado. Tendo como única alternativa a aceitação através de um amor incondicional e cego sem questionamento para uma terra promissora aonde a fartura e a felicidade são constantes, essa realidade cega baseada em uma utopia irracional é colocada para todos como a única alternativa para salvação, salvação essa que do ponto de vista de seus idealizadores tem um sentido amplo que engloba todos os tipos de aflições da humanidade e todos os outros seres, negando qualquer explicação racional possíveis as mesmas utopias sugerindo ao adepto que o mesmo precisa somente acreditar como tudo fazendo parte de um plano divino. Porque multidões estão aceitando as religiões como o seu único conforto? As mesmas pessoas que aceitam as religiões ou qualquer crença que seja, simplesmente não buscam construir uma sociedade melhor como resposta de uma vontade comum Humanista, os grupos que tentam de certa forma tornar o sua fé como um modelo global de conduta moral estão expondo com violência a necessidade de preservação da sua fé.
Todas as congregações religiosas tem o mesmo intuito, aumentar seu rebanho e propagar seus rituais. Em um ato irracional tentam arrebanhar mais e mais, de certa forma os adeptos peregrinos inconscientemente expõe suas crenças como sendo únicas para confortar os seus ouvintes, a utopia da salvação se exibe em um show de insanidades cheia de historinhas que nenhum dos pregadores vivenciou, nesse ato insano eles somente repetem o que ouviram e que eles simplesmente aceitaram,ninguém irá dizer na realidade “_Deus em seu amor deu duas alternativas ou você se torna membro da nossa congregação ou não entrará no reino dos céus” mas é o que está sendo colocado, o bom de tudo é “_Deus poderia lhe obrigar mas lhe deu livre-arbítrio”.
Porque eu devo aceitar?

sexta-feira, 27 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo – Aonde nasce Deus morre a lucidez

O que é importante para definir o estado de lucidez? Poderíamos reduzir a lucidez ao processo de tomar decisões em mundo real baseado em um conceito racional, mesmo assim o que é razão senão um conjunto de ideias em um ideal de visões, como esperamos poder expressar uma crítica sobre o mundo que nos rodeia se nós não estivermos em um momento minimo de lucidez? Como explicar um mundo tão grande e complexo senão por métodos dentro da realidade. Quanta lucidez existe nas palavras de um esquizofrênico atordoado, expondo seus delírios como sendo visões de um mundo real, em certos momentos até nos confundindo. Enquanto a um religioso falando sobre um paraíso ou um inferno, anjos e demônios, Deus e Diabo, Jesus e salvação. Apenas a aceitação sem um minimo de razão pode gerar a possibilidade para que tais ideias possam se propagar e se preservarem durante anos, de uma certa forma deuses e mitologias parecem absurdas e intoleráveis quando olhamos as mitologias de sociedades passadas, mas quando chega a mitologia da sociedade atual ela é a única aceitável, se eu ou você pegarmos uma uma pastinha e caminharmos em um fim de semana para falar sobre os absurdos sociais em nome de Deus, como seriamos recebidos? Esse deus atual é um deus mutante ele é sem duvida o mais perigoso deus que já se fez na humanidade. Porque um deus criador onipotente e onisciente estaria tão preocupado com as atitudes da sua criação, porque um universo tão grande para uma obra tão pequena? Porque toda a humanidade deve de certa forma sofrer para ser bonificado depois da morte ou até mesmo punidos por ter feito algo ruim em vida, isso é irracional como podemos julgar uma pessoa saudável que está esperando a morte e de certa forma aceitando os seus momentos de aflição ou de tortura social como sendo um caminho para poder alcançar os céus e descansar recolhendo o fruto de sua vida. Isso é irracional, será Deus uma necessidade de conforto? Ou uma respostas para uma mente conturbada que não aceita o seu fim ou até mesmo não consegue encontrar um local para si dentro da sociedade? Falei no poste anterior sobre a omissão. Será possível que sem fazer uso da razão você ou eu sejamos capazes de dizer quem está delirando?
            Quando se perguntar sobre a lucidez se tornou absurdo? Pergunto a mim mesmo se existe serenidade nas minhas sínteses ao procurar cuidadosamente aonde minhas afirmações irão me remeter, quando me pergunto se minhas opiniões são lúcidas, me obrigo a procurar uma razão no meu contexto, quando me omito a perguntar se minhas convicções são frutos de minha razão, acabo sendo guiado a vagar pela terra como se fosse um papagaio que simplesmente repete tudo o que o escuta sem dar valor as afirmações. Se basear no achismo seria assim um ato de fantasia e embriagues, mas podemos por falta de alternativa ou por medo do isolamento nos associar a grupos achistas, aonde todos repetem algo ou coisas sem sentido nenhum se apoiando em especulações de incerteza absoluta, apenas crêr é a simples resposta para tudo, em minha posição racional quanto mais sei mais eu percebo que menos sei sobre cada vez mais em um mundo cada vez maior, em contrapartida quando vejo leitores religiosos vejo um monte de gente que cada vez conhece mais de poucas coisas em um mundo cada vez menor, se limitar as coisas misticas parece ser o foco principal do conhecimento geral de um mundo dominado por dogmas e crendices, podemos até  mesmo assumir no exato momento de aceitação de credos, que pessoas normais estão virando esquizofrênicos ou simplesmente sendo levados a ela, a capacidade de uma crença em mudar a mente de seus adeptos chega a ser ameaçadora, em nome da fé alguns até mesmo negam tratamento médico necessário a sobrevivência de seus filhos, ou até mesmo podem negar fatos comprometedores a moral religiosa do seu grupo presente pois a sua crença deve superar a fraca liderança terrestre de homens tendenciosos ao pecado, nesses grupos os que fazem muitas perguntas tendem a sofrer represálias,”_Cuidado pois a duvida é inimiga da fé”. Uma crença religiosa não tolera a outra isso é fato, de certa forma parece que o mesmo Jesus ou Maomé tomam varias formas aonde a mesma acusação perdura,“Suas crenças não são baseados na obra de Jesus” ou “_Vocês interpretam errado a bíblia”.
            A lucidez é um veneno para fé em Deus, poque não posso perguntar o que preciso para formar uma opinião ou até mesmo uma doutrina sem preceitos e preconceitos? E se eu pudesse perguntar como essa resposta viria? Um sonho ou uma carta vinda dos céus ou quem sabe uma escritura me dizendo para crê r porque quem crê será salvo, e mesmo após essas respostas qual seria o resultado da minha crença? Uma vida eterna de idolatração por um amor incondicional e somente idolatrar obedecer e obedecer e obedecer... Por isso os grupos religiosos reforçam seus preceitos com relatos ou “revelações” dos seus adeptos, ”_Depois que entrei para esse grupo me sinto uma pessoa melhor”,”_A vizinha do meu primo voltou a caminhar depois que se juntou aquele grupo”, os adeptos se organizam em bando e todos tem a mesma resposta na ponta da língua para qualquer oposição ideológica, “_Você se limita a condição de pensar, somente acredite!”, qualquer pergunta leva a algo do tipo “Sinta com o coração” ou “Você precisa entender que Deus trabalha diferente”, essa talvez seja a pedra fundamental para entender o que eles querem dizer, porque Deus ou qualquer entidade religiosa trabalha diferente ou porque a obediência deve ser incondicional? A obediência deve ser incondicional e sem questionamento pois somente pela aceitação cega você poderá mostrar sua fé em algum deus, porém se você em algum momento qualquer se perguntar o porque você já não mais estará na linha da fé, entenda que esse é um método aceitação por imposição de terror, não muda muito de ter uma arma contra a cabeça tendo de escolher aceitar ou morrer, mesmo que você seja a melhor pessoa do mundo se sua crença necessitar de um pingo que seja de clareza sobre qualquer fato a saída será a mesma, aceite ou separe-se ou você é cego no paraiso ou passará a eternidade contemplando as suas visões em um ranger de dentes eternos,E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus ...Matheus 18:3. Está claro a imposição por terror ou você aceita ser guiado como se fosse uma criança, sem duvidar ou questionar ou você vai . nesse agrupamento constante o ser racional acaba por optar a ficar sozinho ou juntar-se a tal absurdo, é um absurdo perguntar os fundamentos de uma crença? Ou até mesmo manter a posição de um não adepto?
            Quando a omissão virou alternativa? Num lar de adeptos a aceitação pode vir por falta de escolhas ou imposição, é possível dentro de uma nação religiosa existir um alguém que não quer aceitar tais crendices? E se houver alguém? Será que em sua localidade tal conduta não será severamente merecedora de uma punição? A que níveis pode chegar a punição por não aceitação em uma localidade tendenciosamente religiosa?
            Ensaiar a Lucidez, poderia até parecer simples, se não fosse pelas crendices que estão de tamanha forma espalhadas e encrostadas na mente social que de certo ponto nos deixa adormecidos com suas insanidades e seus mistérios.
Quando tudo se reduz a uma simples palavra PORQUE, porque mereço eu ter de aceitar um amor incondicional e eterno de um autoritarismo baseado em idolatria e aceitação?

segunda-feira, 23 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo - A Origem do Mal e está no grande promotor do Bem



Plantando a Semente da dúvida

Pode o mal ser a falta de algum espirito divino? E se for? A qual divindade atribuiriamos tal culpa? e se invertermos os papéis com o Bem sendo atribuido a uma divindade qualquer, a qual divindade atribuiriamos a responsabilidade? Esse é um tipo de argumento “Non Sequitour” aonde o interlocutor está sendo levado a acreditar em um Ser cuja a evidência para a base de sua alegação seja o inverso da sua representação, no caso Deus como sendo bom é materializado pela presença do mal.
Se o Mal existe em forma de guerra sofrimento e dor logo o Bem também existe em forma de sentimento bom, de conforto e de amor, assim se o bem existe então Deus existe. Essa é uma alegação que se justifica vagamente em uma aversão de casos, analizando essa alegação podemos ver o quanto apelativa ela é por atribuir somente a Deus o que é bom. O Bem ou o Mal é somente uma das caras da moeda. Será que devemos atribuir todos os atos de bondade ou caridade como origem divina?
O Mal é uma ideia fixa sobre a posição em vantagem.

Se atribuirmos o mal a uma entidade de origem metafísica, como poderemos punir tal entidade ou ser? Se atribuirmos toda a bondade universal a uma generosa entidade pertencente a uma realidade fora da nossa, como seres de um universo físico iria agradecer tal ser caridoso?
Porque tudo deve ser reduzido a quem e não a um porque? “_quem foi que nós fez como nós somos”, “_tem alguém que trouxe o mal”, esse é sem dúvida um dos melhores debates em qualquer aula de filosofia. Parece existir uma tremenda necessidade de relacionar qualquer evento natural com entidades ou seres, essa curiosidade humana é uma curiosidade reducionista que o guia a entender o funcionamento ou ou conhecer as engrenagens da natureza.
Exitem dois modelos expeculativos possíveis para um ambiente observável, isso levando em conta que esse ambiente está sendo analizado por seres concientes, o modelo causalidade = causa concequência é um modelo que exige uma origem para um evento natural, o modelo casulidade = casualidade concequencia é um modelo que também tenta explicar a origem dos eventos naturais aceitando as brobabilidades casuais.
Observando o modelo da causalidade podemos concluir que é possível atribuir o bônus de resultados científicos em busca de causas para eventos naturais, um bom exemplo é a atribuição de uma enfermidade a um virus ou bactéria ou até mesmo a doenças genéticas, uma má utilização dessa ferramenta implica em conclusões erradas, quando tentamos atribuir a causa concequência a valores metafísicos estamos fazendo uma análise se apoiando uma falsa premissa. Simplesmente a premissa de atribuir a Deus todas as causas do universo estará errada, podemos dar inicio a um argumento cosmológico, algo como.

Deus fez todo o universo e não foi feito por ninguém

O erro da premissa é falsa pois se Deus é a causa de tudo qual é a causa de Deus? Qualquer questão a disposição da causalidade simplesmente remeterá a mesma a ter uma causa também, pois a sua causa também exige uma origem, nesse termo se tudo for causal e não casual então tudo tem que ter uma causa para existir inclusive Deus. Em contrapartida a aceitação da casualidade é permitido que se aplique a causalidade dentro de um contexto casual, Carl Sagan expôs esse proplema, “Se o universo não é de origem casual aplicado ao big bang e tudo exige um motivo que direcione a um criador, logo quem é o criador do universo e quem é o criador do criador do universo”, então se atribuirmos a causalidade do mal a uma entidade, qual é a origem dessa entidade, e se atribuimos o mal do mundo cristão a Lúcifer? Qual a origem do mal contido nele? Poque então devemos atribuir todo o bem do mundo ao Criador que originou o Criador do mal?
No modelo da casualidade podemos caracterizar o mal como um ponto de favorecimento sobre um ponto de exploração, denominado como fato de estar na posição de favocerido ou onerado sendo casual, se tudo inclusive a própria existêcia se encontrar a um nivel causal seria exigido uma explicação para a posição do favorecido e do onerado, se tal teoria da constante causalidade fosse aceita então o mesmo Criador que recebeu o papél de toda a explicação para o bem ao favorecido como sendo o mesmo causador do mal ao onerado.
Na casualidade toda a posição pode ser explicada como aleatório, você poderia ter nascido no Mundo Arabe mas nasceu em um mundo de Crendices Cristãs, sua posição é aleatória ou é resposta de uma vontade divina?

sábado, 21 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo - Da Razão para omissão da ordem ao caos parte 2

Da Razão para omissão da ordem ao caos, no post passado falei um pouco sobre o resultado da omissão da razão na sociedade .Darei continudade fazendo uma análize mais crítica sobre sociedade em omissão e cooperação.
Imagine um jogo com dois prisioneiros cada um possui duas cartas uma cooperação e a outra traição, o bônus é a redução de sua pena, o ônus é o aumento de sua pena, para cooperação mútua a redução da pena é de 300 dias, para traição mútua uma multa de 100 dias a mais na pena para ambos prisioneiros, quando um trair e o outro cooperar , o que trair sera bonificado com 500 dias de redução, o que cooperar com o traidor será penalizado em 100 dias adicionado a sua pena. Ponha-se agora na posição dos prisioneiros, qual será sua primeira carta?, qual será a sua técnica de jogada?, como você se comportaria se fosse traido na primeira partida em que voce cooperou?, trairia em retaliação ou tentaria mais uma vez cooperar?, mesmo correndo o risco de ser traido denovo?. Está visível que um traidor constante contra um cooperador constante terá uma vantagem gritante, traidor contra traidor será como uma corda certa nom pescoço de ambos, ambos cooperando será certamente a melhor estratégia.
Vamos trazer agora o dilema do prisioneiro ao nosso contexto social e vamos alterar um pouco o nome para omitir e cooperar, em uma visão social mais profunda existe uma guerra constante de coopera e omite.
Os conceitos metáfisicos mitológicos religiosos por parte dos adeptos pode ser figurado como sendo uma auto omissão de razão, quando falei no post anterior sobre o metodo de tratamento do Hahnemann não foi a ele que quis fazer crítica, mas sim aos omissores de seus métodos em comparação a razão cientifica atual, agora está em moda a física quantica espiritual.
Tudo começou na ideia da incerteza do universo quantico aonde a dinamica de Newton e a relatividade de Einstein não são aplicáveis e parece haver uma iincerteza nesse nivel de universo. A incerteza do tempo pois o tempo é produto do espaço, a gravidade que afeta nossos corpoos tambem quase não está presente a nível quantico. Ideia da incerteza de Schrödinger -- Erwin Rudolf Josef Alexander Schrödinger (Viena-Erdberg, 12 de Agosto de 1887 — Viena, 4 de Janeiro de 1961) -- que ganhou um nobel de física ao criar a equação de Schrödinger - que calculava as possibilidades de uma posição eletrônica dentro de um raio planc (Max Planck), imagine um gato em uma caixa fechada tentro da caixa tem um pote com comida envenenada, se o gato comer a comida ele morre ou se ele não comer sobrevive.Para Schrödinger todas as possibilidade acontecem ao mesmo tempo, somente ao abrirmos a caixa iremos descobrir o que ocorreu, essa visão quântica fez com que os adeptos de ideologias Hindu comprovassem as afirmações de uma interconexão universal. Com termos como “_A dança de Shiva” ,”_Todos somos energia” do livro O ponto de mutação de Fritjof Capra – fisico Taoista, influenciado pelo I Ching, aonde ele mostra as comparações da fisica com as crendises Zenistas Budistas e Hinduistas. Um best seller, que na vizão moderna do marketing holistico, crendices que mantem mercados de cristais e sais para purificação da aura, não de longe escapando do assunto entra em cena a terapia Homeopática.
Em um oceano de ceticismo que impora por explicações cientificas o método de Hahnemann parece simplesmente não disaparecer, ao contrario seu método está crecendo assumindo papel de tratamento hospitalar, tal crecimeto advem da ideia de físicos como Capra e tantos outros, tais fisicos por relacionarem suas pesquisas com suas crenças deu uma base para que muitos comerciantes espiritualistas pudecem vender seus produtos(cristais,sais,filtros espirituais,livros wika e revistas de Inu e Iasha), como algo cientificamente provado, apesar de não haver nenhum matérial cientifico sério e homologado pela comunidade cientifica sobre tais funcionaldades.
Existe um nicho crecente no mercado de produtos místicos que foi racionalizado nos preceitos de pesquisadores que confundiram suas pesquisas com suas crenças. Desse ponto qualquer água pode ser benta. Me pergunto(não ao leitor), será que Hahnemann conhecia algo sobre bactérias ou virus?, tanto tempo conhecendo o efeito placebo, porque pessoas estudadas(na sua grande maioria) buscam a cura por vias tão místicas?, será que se o virus da AIDS que precisa de anos para se maifestar poderia ser tratado com placebo a longo prazo?. Jugue-me o leitor mais fé pode ser definido também como efeito placebo a longo prazo.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo - Da Razão para omissão da ordem ao caos parte 1

   
    Existe uma elegância em um simples ser humano, a razão é o maior guindaste da evolução humana e o verdadeiro a ser aprimorado passo a passo, como um presente a geração seguinte. Essa ferramenta de tamanha precisão tem somente dois únicos objetivos de existência, observar e concluir. Compondo uma estrutura na mente humana entra em cena uma outra grande ferramenta chamada MEME, uma variação para Mimeme de origem greca que significa imitar que foi cunhada por Richard Dawkins em seu livro O Gene Egoista, cuja única função é manter uma base de dados ou simplemente um background humano contendo um conjunto de informações que são passadas as gerações seguintes, palavras, conhecimentos cientificos, esperiências de vida. O meme é uma ferramenta comparável ao Gene para cada ser vivo, juntos o Meme e a Razão compõe o guindaste da nossa evolução como seres concientes, tal união vem construindo nossa história como se fosse uma pedra bruta das esperiências recebidas por nossos ancestrais que podem ser talhadas pela razão . 
    Foram nas descobertas científicas que conseguimos erradicar o vírus da pólio, atravéz dessa ferramenta tão simples fomos capazes de mandar o homen ao espaço, também com a mesma ferramenta construimos máquinas terríveis como resultados de esperiências, algums ideais que nos foram transmitidos simplesmente os demos continuidade e outros devido ao nosso poder de razão não o continuamos, continuamos a explorar o cosmos porém não mais aperfeiçoamos nossas armas nucleares. Quantos anos foram necessários para que o homen do "pau e pedra" tornarse o homen do "mouse e teclado" ? Quantos progetos ou ideais de vida foram preservados, quanto outros foram aprimorados ou até mesmo quantos foram expurgados? Os seres humanos tem o poder de juntar suas idéias e converter em algo útil ou algo aterrador, quão grande deve ser a infra-estrutura necessária para confeccionar um mouse em comparação com uma lança? A dividisão em grupos de idéias mostrase muito mais rentável, que o metodo de trabalho solitário, no nosso modelo então logo somos considerados uma sociedade de idéias, idéias das células, idéia da elétricidade e assim em diante, compondo uma teia social maior do que o próprio ser, estamos a um passo do nosso colega de trabalho porem a anos de pesquisas e especializações da área de trabalho do mesmo, mas mesmo assim nossas cabeças juntas constituem um organismo invisível. 
  Necessitamos dos resultados das pesquisas uns dos outros, criamos assim um sistema de interdependência. O grande exemplo é a vacina para curar o pólio, somente confiando naquelas pesquisas viemos a poupar a vida de muitos recém-nascidos. Como no exemplo de Dawkins em seu livro Gene Egoista o jogo Dilema do Prisioneiro nossa sociedade tem somente duas escolhas ou cooperar ou trair, cooperação mútua rende em beneficio mútuo, traição mútua rende em penalidade mútua, traição por parte de um dos jogadores o rende beneficio enquanto ao que cooperou pesa a penalidade, podemos concluir nossa sociedade como um eterno jogo de Transmite ou Omite.
   Nesse sistema interdependete qualquer omissão  ou negligência racional pode vir a trazer muitos trantornos aos que mais dependentes dessa troca. Se for negado a um usuário de fármacos qualquer contra indicação de seu tratamento, esse mesmo pode vir a sofrer ou até morrer pelos efeitos colatérais adversos, uma omissão de um estado clínico por parte de um paciente, poderá fazer com que ele receba um mal medicamento o levando a correr risco de vida .
   A razão nessa correlação interdependente é fundamental tanto para prever uma omissão quanto para prever uma transmissão(cooperação), devemos tentar entender os que omitem, será que ouve uma falta de cordialidade por parte do omissor ou simplesmente medo que eu ou você não cooperassemos? O que devemos aplicar como punição ao omissor? Um voto de cooperação? Ou uma série inacabavel de traição ? ,devemos também  tentar entender o transmissor ou cooperador , deveriamos continuar cooperando para beneficio mútuo ?, ou omitir na tentativa curta de tirar uma vantagem sobre o espirito de cooperação alheio ? , e como o penalizado pela nossa rapida tentação de vantagem irá responder ? , existira nele um sentimento de retaliação ? .
    Num sentimento mútuo de cooperação a sociedade humana se vê muitas vezes atacada por uma omissão benefica somente pelo omissor , não tão longe também a sociedade se vê omitindo suas reais necessidades , entrando em um sitema mútuo de omissão própria a um omissor  cooperador , no caso cooperando com um Omissor em um sentimento falso de beneficio . Muita gente busca na religião uma forma de tratar suas depreçoes ou anciedades ou terrores , literalmente omitindo de si algo que deveria ser tratado externamente em um sentido puro de razão e cooperação , deveras vezes vemos gente recorrer a grupos que conjuram entidades já a muito tempo falecidas para tratar a sntimento de falta deixada por um ente querido , outros recorrem a metodos alternativos para tratar suas dores aceitando um tratamento a base de crendices como cristais ou até mesmo principios ativos dos substratos mais diversos da natureza . Chegamos ao absurdo de ver metodos de violência contra a razão , como os métodos alternativos para o tratamento da dengue que se baseiam em vibrações de átomos de um fator causador dos sintomas da dengue .Eu não gostaria de repetir tal dicertação nos meus próximos posts , pretendo fazer com que essa seja a única pois não tenho interece de fazer com que o leitor assuma minha posição de entendimento mas sim julgue se acha correto ou não , o papel do leitor nessa situação e o de somente dicernir o racional do místico e verficar quem está omitindo quem está transmitindo , ou simplesmente se o jogo da omissão mútua está atuando no contesto .
    Samuel Hahnemann 10/04/1755 * 6/7/1843 foi um médico dedicado que viu em sua sociedade de doentes pobres a necessidade de encontrar formas alternativas de tratamento , até então um ato de humildade que seguiu até o fim da sua vida ,
em suas pesquisas ele pôde notar que o meio ambiente é cheio de componentes químicos que ao ser misnistrado em humanos repetiam os efeitos das mesmas doenças sofridas pelos mesmos , Hahneman então criou um catálogo de produtos que ele iria ministrar aos seus pacientes , logo no inicio ele ministrava o produto em seu "fator"(poder de cura) bruto ,como concequência matou muitos dos seus pacientes , Hahnemann resolve então diluir e diluir e diluir .... ,em cada uma das etapas para cada parte do produto a ser ministrado ele o diluia em um processo chamado sucução que tinha de agitar a parte diluida em uma quantidade de água , esse processo deveria ser feito dez vezes para cima e para baixo ,dez vezes da  esquerda para direita e dez vezes para frente e para tráz , batendo no final trez vezes em uma tábua de coro de cavalo , logo então nessa solução retiramos uma gota da agua sucuçada e botamos em outra parte de água equivalente a anterior repetindo o processo de sucução e depois adicionando uma gota desse novo frasco sucuçado e adicionando a outra parte de água , assim consecutivamente até 100 ou 300 vezes .No principio de Hahnemann quanto mais diluido mais potente o remédio , ele elaborou tres regras para a existencia de seu tratamento , primeiro é o metodo associativo ,pegando um paciente saldavel e dando a ele algo que o faça ter sintomas de alguma enfermidade , segundo é o método de sucuçar , terceiro quanto mais diluido mais potente.
    Como havia dito que a razão é uma ferramenta que serve para moldar e dar formas aos memes , não tenho intenção de tirar os méritos do Hahnimann por ele ter tentado algo alcansavel e de certa forma tolerável pela sua época. Nos moldes da nossa sociedade atual também não aceitamos propostas de comercialização para mão obra escrava , e se tal nos fosse proposto de antemão recusariamos. Estudos e pesquisas científicas comprovam que Hahneman estava errado pois o primeiro pricipio dele é um ato irracional por não combater a doença e simplemente associar a algo que promove os mesmos efeitos de uma doença como sendo a cura para os sintomas da doença , logo de cara concluimos que a doença está associada a um virus ou bactéria ou mesmo um parasita qualquer , cai ai a regra associativa de Hahniman ,em sua segunda regra a sucução , realmente é possivel agitar algo até que tal possa ter suas moleculas ou átomos misturados mas concerteza não dessa forma , o terceiro metodo é o da diluição ,esse é o mais grotesco porque na atualidade com o conhecimento cientifico que possuimos sabemos até aonde podemos diluir qualquer coisa , não gostaria de expor numeros no blog e muito menos tirar qualquer merito atribuido a ele logo no fim desse texto tem links informativos interessantes . Na atualidade existem grupos espalhados pelo globo que querem mater as técnicas de Hahnemann que inclusive tem milhões de adeptos , e não existe nenhum grupo que queira defender a mão de obra escrava , não concordo com mão de obra escrava só estou fazendo um ponto comparativo . Porquê ? ,porque esse método tão rustico continua a imperar ?, esse sistema de consulta e tratamento alternativo para mim não diferência em nada de omissão médica por parte de uma pessoa que está sofrendo de algum tipo de doença , e omissão por parte do Homeopata de não falar sobre os reais atributos de seus métodos farmaceuticos . No meu ponto de visão , aqui impera um jogo de omissão mútua que beneficia o Homeopata .
    Médicos tratam pessoas com métodos testados e homologados em uma razão conciente . Homeopatas não são médicos nem doutores .
    Não somente para mim mas para muitos remédios homeopatas devem ser vendido ao lado de cristais e incensos de casas de produtos místicos ou entidades religiosas ,e médicos homeopatas devem ser tratados igual a pai de santo ou até como um astrologo , receita homeopata deve ser comparado a uma leitura zodiacal .
    >> No próximo post gostaria de comentar um pouco de onde vem as possibilidades de metodos como Homeopaticos <<

Links :   http://www.youtube.com/watch?v=cjgpEfs2-pY
              http://www.youtube.com/watch?v=gRxk-UuQUqc&feature=related
              http://www.youtube.com/watch?v=ZOTUtViWfF8

terça-feira, 17 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo - Deus e o abismo social

Por mais que continuemos a mostrar as relações entre o divino e o delírio esquizofrênico, nossa ilustração não estaria sendo tão clara se não mostrássemos o abismo promovido pelas diferenças entre as crenças.
As escolas da fé, assim eu vou chamar nesse post e nos próximos, são os locais de desígnio divino que distribuem conhecimento e cargos para aqueles que tendem a se submeter a tais doutrinas. Vamos simular que existe uma carência psicológica, que direciona todos indivíduos conscientes a uma aceitação divina, e como tal acabe buscando justificar o seu sentido de existência própria na necessidade de manifestações em entidades ou ecossistemas mitológicos, porque você deve escolher aquela ou essa escola religiosa? Quais serão os critérios necessários para definir qual escola possui a melhor doutrina? Quais serão os critérios usados para dizer qual é a entidade religiosa que realmente está certa em suas justificativas? Para questões como essas serem respondidas por mim ou por qualquer outra pessoa, teríamos de justificá-las conforme as minhas ou as suas necessidades, sendo assim as necessidades são o fundamento de toda religião.
Assim como empresários investidores ou exploradores, tais escolas atacam a níveis de necessidade, o desespero de seus alunos por um atendimento rápido na longa fila de espera do SUS dos Milagres Divinos, quanto maior o milagre maior tem que ser o sacrifício do aluno, esse aluno se especializa então a aceitar qualquer proposta vinda das escolas religiosas. Essas escolas também mostram um interesse comum de domínio de território visto que o campo de batalha de cada uma é a cabeça do estudante , qual a doutrina que irá vencer nessa batalha? Numa breve analogia sobre as áreas de conflito, o exército que irá ganhar será aquele que mostrar o melhor conhecimento do campo de batalha, o que melhor se preparou para agüentar a dificuldade expostas em cada batalha, o que chegar primeiro ao campo e tiver mais tempo para entrincheirar-se assumindo as posições mais elevadas ou as mais favorecidas.
Uma guerra está acontecendo e o campo de batalha é a cabeça do leitor, nesse ambiente escuro e úmido três posições podem ser assumidas, a razão que busca justificar sua realidade em experiência de observações e conclusões, a “identidade de vida” aquela que define um ser como um consciente em paixões e terrores, a doutrina religiosa que tende a reprimir a identidade de vida e matar a razão da consciência impondo terror em contraposição as paixões do doutrinado. A identidade de vida de um ser consciente é algo que deve ser moldado por ele mesmo em um censo de razão baseando sua vida na observação e conclusão em uma seqüência de acertos e erros. A religião contrapõe a razão em um processo reverso ao que seria o acaso de uma experiência como sendo o "Fundamento do Mal", observamos que a consciência é construída em cima de experiências algumas resultam em sucesso como felicidade ou em desastres como frustrações , a religião molda a consciência para compreender atos que até então seriam frutos da ingenuidade ou curiosidade minha ou do leitor como pecado ou fundamentos do mal .Sabemos desde então que a religião caça na consciência algo que define a identidade pessoal do indivíduo doutrinado, no censo de sexualidade do indivíduo que lhe orienta a uma liberdade de expressão para assumir um consciente adulto maduro, a religião tem algo que não é bom para doutrinar qualquer que seja a mente em questão.
Desse poderoso arsenal que é a reversão o acaso da experiência de vida, o medo é sem dúvida uma arma muito poderosa, explorando os medos humanos em ampla área como medo da morte, medo da falta de credulidade, medo do inexplicável, medo de algo maior, medo da falta de um desígnio cosmológico, medo do mal e assim por diante. A mente humana após ter adquirido o conceito de existência própria, ou seja, consciência de si mesmo como um ser, viu a tristeza que é deixar de existir ou até mesmo ter que voltar a condição anterior a própria existência, suas necessidades de respostas para a pós-vida e mistérios da natureza, fez esse ser criar vários modelos de ambientes propícios a existência de outra vida, e até mesmo figuras mitológicas calorosas que tratam os seres humanos como únicos dentre todos os outros forma de vida como centro de um desígnio cosmológico. O medo da perda fez com que essas escolas se especializassem em oferecer encontros entre pessoas que voltaram ao estado do pré-vida e os que continuam a viver , e oferecem conforto ao mesmo se por acaso ele morrer. O medo de não conseguiu superar uma doença ou evento vivido fez com que essas escolas desenvolvessem técnicas de retribuição por bom comportamento ou por subseção, subjetivando uma conspiração universal em pró do credo.
Podemos procurar na raiz humana o espaço promovido para credulidades e dogmatismos, provavelmente quando os nossos ancestrais desseram das arvores e olharam para a chuva caindo se tivessem perguntado, “_Por que água cai do céu?”, talvez nesse momento ele correlacione sua pergunta com o processo de causa e conseqüência, "_Preciso que alguém faça algo acontecer”, então seus porquês e comum procuraram um quem, "_O que faz chover" virou um "_Quem fez chover" ou quem fez os animais como eles são quem fez o sol e assim em diante.
As munições disparadas nessa guerra são apelo à credulidade e o ataque por terror, “_Você precisa acreditar em algo para ser melhor”, ”_Se você não acreditar só tem a perder, pois o dia está próximo”, as técnicas de manipulação mental são as mais apertadas, pois todas as técnicas apresentam somente dois caminhos à vida com a felicidade ou a morte eterna com sofrimento e ranger de dentes, as figuras mitológicas exibem suas elegâncias teológicas e suas metáforas floridas como um pavão exibindo suas penas as fêmeas, “_Vinde a min. as criancinhas, pois delas é o reino de meu pai”, “_É mais fácil um camelo entrar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”.
Sem piedade essas entidades buscam todo espaço disponível nesse campo de batalha e cavam trincheiras profundas ricas em conhecimento de organizações eclesiásticas, baseadas e em dogmas de salvação e perdão constante para um ser tão pequeno mergulhado em um oceano de pecado, esses soldados invisíveis aumentar suas valas e o cercam com arames farpados de medo da morte eterna como punição por não ter aceitado o caminho certo.
A razão é o primeiro inimigo a ser atacado nessa guerra violenta, o ataque ao direito de pensar é forte e toma forma em um olho que penetra a carne e lê a mente daquela já pensante alma submetida a esse modelo. O direito de sentir também deve ser abalado pois esse sentimento sobre liberdade de expressão, então logo entra em cena um ser que está do lado de fora dos banheiros e que sabe tudo o que se passa lá dentro, golpeando com censuras e punições de desígnio eterno todos os atos de manifestação íntima, tornando de certa forma sua vítima em um ser removido de dor pelo desejo de sua existência e manifestação da mesma, “_Se a tua mão os faz pecar cortai , pois é melhor entrar no reino dos céus sem uma mão do que ser condenado ao inferno com as duas”.O Ataque as Relações Sociais, após a omissão do 'eu intimo' da pessoa em questão, esse seria o golpe de misericórdia, ao afastar essa mente atacada de outros grupos sociais esses soldadinhos invisíveis tornam mais difícil o acesso ao matérial bélico que reforçaria a pequena resistência oferecida pela razão, de certa forma tornando tal mente blindado e protegido contra outros ecossistemas para fins de evitar pontos diferenciais, fazendo com que o cidadão seja agora um ciborgue dominado para propagar outros militares. Esse pequeno ser agora dominado teve todas as portas para as universas reais encerradas, seu convívio social agora se limita a outras mentes contaminadas com as mesmas idéias, não existe variabilidade de entendimento em grupos isolados e encerrados num conjunto de dogmas religiosos.
Essas são as três estratégias de ataque a mente, "Substituição da Razão por reversão ao acaso da experiência”, "Ataque ao Sentimento da Intimidade Pessoal por punição e condenação sem fim" e o "Ataque a Relação Social por imposição de grupo".
Do isolamento ao Abismo!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O nascimento de um novo tempo - Deus por quê ? Porquê de Deus ?

A vontade divina desde cedo se apresentou como uma grande pedra amarrada aos pés da humanidade, muitos pensadores e filósofos tiveram tempos difíceis para provarem suas teorias.
   Essas mesmas pressões são sentidas hoje por críticos e estudiosos de diversas áreas, cientistas esses que ao expor uma opinião sobre algo irracional logo são acusados de espalhar a discórdia entre os homens.
   Logo então percebemos que não podemos e não devemos apresentar opiniões ou conclusões numa dita área aonde a razão não é válida para conclusões, pois esses mesmos irão ferir os conceitos religiosos ou culturais, conceitos de tamanha credulidade não fundamentada em nenhum principio materiais ou calculáveis, que logo são defendidos por longos argumentos de fiéis e apologistas, tanto a níveis cosmológicos quanto a níveis de credulidade.
  Os defensores desses conceitos religiosos logo se apressam a responder qualquer tipo de contradição ideológica, como se todas suas convicções e dilemas fossem temas de simples falta credulidade ou má interpretação por parte do interlocutor, "_Seu problema é que você não sente com o coração”, "_Você leu errado, portanto tirou conclusões erradas", existe algum parâmetro para testar a credulidade? , existe algum parâmetro para definir o entendimento correto de uma leitura religiosa. Uma simples pergunta como esta "_ Em que você justifica sua fé?”, você poderá (e até vai) fazer duas partes entrarem em um círculo de perguntas e respostas proporcionais a mesma fé do individuo questionado. Como falei, não existe nenhum instrumento ou modelo de passo para medir ou testar a palavra fé.
   A razão baseada na observação e conclusão é o único método para justificar qualquer suposição ou evento. Qualquer pessoa que justifique o universo a sua volta pela fé simplesmente está fechando-se para o resto do mundo, pelo simples fato de sua fé ou crendices somente serem sentidas e ou até palpáveis pelo mesmo, a esperança de qualquer comprovação nessa situação se torna impossível pelos métodos físicos de nosso universo presente, o que simplesmente podemos definir com ponto  para determinação de um conceito de realidade. A dificuldade de se provar um universo sentido por qualquer religioso pode ser dado no exemplo de um simples delírio esquizofrênico, podemos eu ou você apalpar tais delírios?Ou até mesmo podemos transformar tais distúrbios em evidencias para um universo metafísico, talvez para um modelo do alem em comparação ao nosso que é movido e sentido em um ambiente experimentado em grupo e controlado por um conjunto de regras lúcidas o esquizofrênico serviria para tal exemplo de metafisico. Quando qualquer ser humano tenta expor suas crenças como algo fundamentado e elabora uns universos de casos, esse mesmo ser humano deve tomar para si o ônus da prova, se digo que existe eu tenho de provar minha colocação dita que quero tornalas reais em um universo fundamentado em realidade.
   Toda afirmação exige uma explicação, afirmações cosmológicas exigem explicações cosmológicas, partindo desse principio se qualquer um tentar justificar sua fé em qualquer entidade ou figura folclórica terá logo de justificar o mesmo botando a prova suas justificativas.
   Mesmo que massas de pessoas digam que suas entidades religiosas e suas expressões resultem e algo que supera o físico não os tornará tão lúcidos quanto os esquizofrênicos sobre seus delírios. Suas bases não são fundamentadas em uma realidade palpável, mesmo que a realidade seja palpável o resultado tende a um alem matéria, isso não pode ser fundamentado